Do rever…

Então chego em um ponto no qual  percebo duas situações cruciais para o processo de aprendizado, uma é que precisamos olhar para trás e ver o que já foi vivido para achar inquietações do tempo presente, e a outra no processo de conhecer o próximo, que também faz parte do processo de auto-conhecimento. Encontramos dentro do olhar do próximo, nosso olhar. No que ouvimos, argumento para nossa fala. E sem sombra de dúvida, um pouco mais da minha história dentro da história do outro. Aprendi que a chave responsável por abrir as portas de nossos potenciais escondidos no coração não está em mim, e sim no próximo. Talvez o inverso soe melhor: A chave que eu possuo para abrir essa porta do coração é destinada ao meu próximo, da mesma forma que meu coração será aberto (na verdade, esta sendo) por outra pessoa.

Olhamos para trás e, de forma automática analisamos nossos erros e acertos, achando que eles devem perdurar para o todo. Entretanto, se os erros começam a ser interpretados como processos de aprendizagem, de ordem cíclica, das fases de nossa vida, ficamos muito mais aberto ao entendimento de determinadas atitudes que fazem sentido para alguma fase da vida (pessoal ou profissional), e não para todo o sempre. O mais bacana é que esse aprendizado é construído com o passar dos dias, e com a observação de detalhes pontuais sobre os nossos próximos. Ou seja, o processo de aprendizagem não vem se dando a partir de uma análise definida entre erros e acertos, e sim através de um envolvimento com o meu próximo a fim de que eu possa entender as razões que me fizeram convergir para um determinado comportamento (ou não), e a partir desse cruzamento de histórias é que extraímos (de acordo com nosso tempo) nosso aprendizado, bem como começamos a enxergar a chave que abrirá o coração de meu próximo, que consequentemente dará vazão aos potenciais que emergem do seu coração, mas por algum motivo ainda não foram sentidos.

Um trechinho do Stephen Marley para hoje: ‘But nothing is permanent in life, all except for change’

Obrigado por mais uma manhã-tarde de paz!